quinta-feira, fevereiro 18, 2010

Agora sim: 37

Aos 37 anos tenho um aparelho nos dentes como não tive aos 13. Tenho um namorado que não é o mesmo dos 13, mas que é muito melhor. Não tenho filhos, aos 37, mas uma enorme vontade de trabalhar para tê-los, mesmo que custe, que demore tempo, que seja cruel e desolador. Mesmo que a resposta seja não, no final do esforço. Aos 37 tenho uma profissão que adoro e uma equipa de gente fantástica. Tenho umas amigas especiais neste blogue, e outras, uma delas para lá do Atlântico. Tenho um carro com quase 9 anos em perfeito estado e sempre lavadinho. Tenho uma casa onde me sinto bem e com o pôr-do-sol à janela (quando o há, coisa que já não me lembro). Aos 37 anos tenho uma mãe e um pai maravilhosos. Tenho uma avó prestes a fazer 95 anos e que me tem como a preferida da família (modéstia à parte). Tenho uma Bimby e já fiz um bolo sozinha, experiência vivida após anos de medo da cozinha. Aos 37 anos tenho uma ou outra ruga de expressão, sendo que já não choro há muito tempo, por isso devem ser de sorrir. E tenho quase 1 metro e 60 e mais 5 quilos que os que queria ter. Tenho uma inscrição num ginásio, imaculada, sem nunca ter sido testada. O mesmo se passa com a bicicleta que fez ontem 5 anos. Aos 37 anos não tenho um corpo de modelo nem grande orgulho na minha figura. Mas aos 37 já convivo bem com isso. Não tenho o ordenado que mereço mas sobrevivo às minhas custas. Não tenho problemas maiores de saúde, a não ser as normais enxaquecas, as dores de costas e pescoço e uma depressão que já não se nota mas que continua a ser tratada. Se calhar, tenho problemas maiores de saúde. Aos 37 tenho uma família unida e maravilhosa, com 4 sobrinhos de verdade e outros 3 emprestados, mais um afilhado à parte e uma afilhada de crisma. E apadrinhei o casamento do meu irmão do meio. Aos 37 anos já fui casada, já me divorciei, e já sinto que tenho de casar outra vez. Não tenho medo do escuro mas prefiro não ver filmes de terror sozinha em casa. Tenho uma queda por meias-de-leite e um fétiche por crepes e panquecas. Aos 37 anos já gosto de favas. Tenho dois seguros de saúde e outro de vida que deve valer um dinheirão, se eu morrer. Mas aos 37 anos estou viva. Mais do que nunca!

8 comentários:

Vice... disse...

... aos 37 (com cara de 31, diga-se...) tens um irmão que continua "cagão", que tem uma sorte do caraças em ter uma irmã como tu :))!

ps1 - esqueceste-te do teu irmão "cagão"!!! Como é que é possível :))))!!

ps2 - para que conste, estive em vias de vos ofender (com a devida autorização "da Cidade"..)... Felizmente tiveram o bom senso que o país também reclama :))!

FQ disse...

Espero que a minha sms tenha chegado. Grande beijinho desde o Oriente e mais uma vez parabens! (vezes 37)*

Samantha, assumidamente disse...

não ofendas o meu irmão mais velho, vice... ele tem um coração de ouro e uma inteligência acima da média. pode ser cagão à vontade...

FQ recebi a tua maravilhosa mensagem a partir de macau. beijos grandes. quem me dera poder ir até aí...

Pedro Bom disse...

Bela descrição, gostei!!

lu disse...

Olha,

Encontrei o teu blogue por acaso e, só por também eu ter 37 anos e também eu ter aparelho nos dentes, vais passar a ser das minhas leituras diárias!
:)

Lurdes disse...

Samantha, mais uma vez, PARABÉNS!!! Por tudo o que tens aos 37 anos.

Lurdes disse...

E essencialmente, por tudo o que demonstras ser, mesmo a quem não te conhece a não ser daqui.

Beijinhos

Ana Red Nose disse...

:)
Parabéns!